A minha meta pessoal!

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Eu e os outros...

Uma pequena divagação minha (depois não digam que não avisei!!!)...

Desde pequena, de muito miúda que sempre fui gorda (ao contrario de alguns relatos que se lêem por aqui), engordei tinha 6 anos, não me lembro do que é ser magra, dessa altura apenas tenho algumas fotos para me fazerem crer que de facto o fui... aliás, nem sequer soube nunca o que é não ser gorda!!! Mais para cima ou mais para baixo, mas sempre fui a mais (ou das mais) gorda da turma; na minha família há gordinhos, mas também sempre fui a mais gorda, no meu grupo de amigos igual! Curiosamente... sempre fui daquelas a quem os meninos pediam beijinhos na boca no "bate pé", sempre fui das primeiras a ser escolhida para as equipas nas aulas de educação física, nunca ninguém deixou o lugar a meu lado no autocarro vago por achar que ficariam mais apertados, nunca senti olhares reprovadores na rua (alguns comentários de crianças, disso sim, lembro-me), tive namorados como toda a gente... em suma; sempre me senti NORMAL! As dificuldades que tinha passavam por ter dificuldades em encontrar roupa, ou em vestir o que gostava (se calhar por isso aprecio tanto o facto de hoje em dia conseguir vestir algumas das coisas que gosto) e pouco mais! Por estas e por outras mil coisas nunca me senti "rejeitada" nem familiar nem socialmente por ser gorda (se calhar existiu...eu é que nunca senti). Tive, o que penso terem sido os "problemas normais" de todas as pessoas, na infância, adolescência ou idade adulta! Pelo que tenho lido por estas bandas e pelo que a vida me tem dado a conhecer... sei que o que tive foi MUITA SORTE!
E também por estes motivos não me identifico em nada com a autora do livro que referi no post anterior!

O que me faltou (a nível d'os outros)?
Alguém que me abanasse e dissesse: "Tás gorda, pah!!! E se não fazes nada para mudar isso, vai ser cada vez pior!"
Tentaram sim... houve quem tentasse, mas eu sempre com esta porcaria desta fragilidade e dificuldade em acreditar que podiam gostar de mim gorda, achava logo que a conversa era por aí... quando era tudo ao contrário! Lembro-me bem de ter aí uns 15 anos e do meu irmão ter uma conversa comigo, de tentar chamar-me um pouco à razão, explicar-me a importância de perder peso e de me dizer que ninguém gostava mais nem menos de mim... chorei tanto, mas tanto que terminou a conversa com um abraço e a dizer que falávamos disso mais tarde... acho que nunca mais teve coragem de voltar a abordar o assunto!

Ignorei o problema... era a opção mais "fácil"!!

Não me sentia bem com o meu corpo, comigo mesma, só que não o sabia... não que hoje me sinta bem, mas noto uma diferença abismal... tão abismal que às vezes tenho receio que seja grande demais... ou talvez não, não sei!

O que me "abriu os olhos"?
3 coisas: as limitações físicas que começavam a surgir, os três dígitos e ouvir da boca de alguém, que sabia que me entendia na perfeição, que eu tinha um problema... e que dependia de mim e só de mim resolvê-lo!

Fico-me por aqui...

19 comentários:

Crista disse...

Então muita força Estela!!!
Vais conseguir melhor qualidade de vida.
Beijos e boa semana.

Jojozinha disse...

E ja pensaste em escrever um livro? Ajudarias muita gente, que tal como tu precisaste, precisa desse "clik" para começar.

Sui disse...

Gostei da ideia do livro...
Tu és uma vencedora!! é o k interessa, Mt força!
Jokinhas

Framboesa disse...

Adorei este teu testemunho e mandei uma risada qd dizes:tás gorda pahh!!!pq eu ja disse imensas vezes ao m marido:olha lá, deixaste-me andar na praia feita trambolho e não podias dizer:ó amor, tas gorda, emagrece ó cum caraças!!! (lol)

gosto de vir aqui ver sempre este teu ponto de vista que apesar de simples é muito sábio...


bjokas

Framboesa disse...

Adorei este teu testemunho e mandei uma risada qd dizes:tás gorda pahh!!!pq eu ja disse imensas vezes ao m marido:olha lá, deixaste-me andar na praia feita trambolho e não podias dizer:ó amor, tas gorda, emagrece ó cum caraças!!! (lol)

gosto de vir aqui ver sempre este teu ponto de vista que apesar de simples é muito sábio...


bjokas

Anónimo disse...

:D ...tekita

Sui disse...

Tou de olho em ti...
mas pk sei k és uma vencedora, k tens o teu tempo, e k consegues alcançar os teus objectivos, só te tenho a dizer:
Continua assim!!!
JOkinhas

Crista disse...

TOU DE OLHO EM TI ESTELINHA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

turbolenta disse...

Por vezes precisamos de um abanão daqueles em quem confiamos, acreditamos e amamos.Eles são pessoas muito importantes para nós. São eles que nos podem ajudar.
Gosto da maneira como expões o que sentes.
És uma mulher corajosa!
boa semana
boa RA

Marisa disse...

Uma das coisas que me abriu os olhos foram as limitações fisicas também que começavam a surgir: dores na coluna quando tinha que estar mais um bocado em pé, dores nos joelhos, o já não conseguir chegar bem com as mãos a algumas partes do meu corpo, etc. Mas o que me despertou mesmo foi perceber as limitações que impunha a mim mesma, tipo esperar para emagrecer para depois voltar a fazer uma série de coisas que evitava por me sentir mal tão gorda.

Fiquei sensibilizada com o teu testemunho. Entre outras coisas, faz-me pensar que algumas das discriminações também acontecem quando os próprios se auto-discriminam. Um dia destes conversava com uma amiga a propósito de um menino com estrabismo. Falávamos daquelas coisas mais banais, como o ele poder sentir-se diferente dos outros, ser discriminado, etc. A dada altura, caímos em nós e acabámos por rir do filme que estávamos a fazer. Lembrámos que eu também tive estrabismo durante anos (não de nascença) e vivi parte da infância assim(até ser operada com 9 anos). Nunca me lembro de ter sido minimamente discriminada, de ouvir comentários que me magoassem ou deixar de ter elogios à carinha de menina laroca. Sentia-me uma criança normal como as outras, nem nunca pensei sobre isso (provavelmente, coma ajuda dos meus pais que nunca deram relevância desproporcionada à situação) . Talvez isso tenha ajudado a que os outros meninos me vissem como uma igual e não como alguém diferente que tinha um olho diferente.

Beijinhos

Mário Franco disse...

É muito importante termos consciência das nossas limitações.
Pelos vistos, só quando foram mesmo limitações é que deste conta do 'perigo' que podias correr.
Por outro lado foi importante nunca te sentires rejeitada, embora isso podesse ser um alerta mais cedo das tuas limitações.
O que importa agora é vais conseguindo o teu objectivo e que é SÓ por questões de saude que o fazes,consciente que vais ter melhor quelidade de vida.
FORÇA CONTINUA!!!!!!!

Téia Feliz!!! disse...

estou iniciando a operação FRIO+SOPA=KGS A MENOS!!!! da uma passadinha no meu blog....uma feliz semana pra vc!!!!!
bjinhuxxxxxxxxxxxxxxx

MJB disse...

Oi!

Que te poderei eu dizer que não tenha já sido motivo de conversas entre nós?
nada...

Continua miúda!!
Porque estás cada vez melhor!!
:)

beijinhos
MJB

Victória disse...

Olha a mim não faltou quem me dissesse que estava gorda, obesa e nomes ainda mais difíceis de ouvir e sabes o que isso me fez mudar? Nada, nadinha. Ouvia, sofria e comia e cada vez engordava mais, só mudou alguma coisa quando houve um clic cá dentro, quando a vontade de magrecer partiu de mim e não dos outros. O que interessa é que estás cada vez mais linda e elegante e todos os que não falaram já o notaram. Beijocas

Algodão Doce disse...

Hello!
Beijinhos doces e uma boa semana!

Mishi disse...

Olá minha querida amiga.
Eu passei por algumas represálias, mas a gordura nunca me impediu de conseguir o que queria, nem de ter amigos. Também me sinto com sorte.

Beijos enormes para ti!

Sabrina Mix disse...

Oi!

Estou com um site novo. Depois apareça para uma visitinha, e deixe seu comentário.

Beijos e sucesso,
Sabrina Mix

http://www.sabrinamix.com

Papoila disse...

onde andas, pá? i miss u :)))
(deste assunto já falamos tanto que nem vale a pena comentar aqui :)

Rita disse...

Olá Estela,
quando descobri o teu blog senti necessidade de ler todo o arquivo para conhecer melhor a tua história. És uma vencedora! Parabéns! Não sei se estarás de férias mas tenho estranhado a tua ausência. Espero que te mantenhas pela blogosfera light pois és uma das pessoas que me inspiraram e encorajaram a voltar a emagrecer e a construir um blog. Estás, desde já, convidada a visitar-me!
Bjinhos,
Ana Rita