A minha meta pessoal!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Terra de Ninguém!

Às vezes é assim que me sinto... como se fosse "Terra de Ninguém"
Não em relação à minha pessoa, mas ao meu corpo!
Acho que a expressão que me caracteriza neste momento é, como falava no outro dia com uma amiga, "não gorda". Mas que raio de expressão para caracterizar alguém, não?
Segundo critérios médicos, sou ex-obesa (não gosto, nunca gostei desta palavra!), assim como os ex-fumadores, ex-alcoólicos... parece que soa a ex-vicio (que se retraiam os maus pensamentos, pois nunca fui viciada em comida, não senhora). Também não se diz que esta ou aquela pessoa é ex-cancerosa, ou ex-tuberculosa, pois não?
Então porque raio hei-de eu ser "ex" ou "não" qualquer coisa?
Parece que me tira a identidade... raios partam!

Parece que me tiro eu própria a identidade, melhor dizendo...
O perfil está "em obras" há uns tempos porque, sinceramente não sei que lá escrever... ou seja, se não me caracterizar pela gordura (ou pela não gordura) não sei como descrever outras carateristicas de mim...
Será isto normal? Não creio...

6 comentários:

MZ disse...

Oi!

será normal?
não sei... só sei que agora estás "normal"... normalíssima!!

e o resto que se lixe!
beijos
MZ

Da gordura à formosura disse...

Eu quando estive mais magra nunca pensei em mim como ex o que quer que fosse. Sempre me senti eu própria. Estava diferente por fora e havia pessoas que reagiam de maneira diferente por isso, mas eu sentia-me bem.Nem sequer pensava muito na época em que estava gorda.
Acho que só deves ter algum cuidado para não voltares a engordar, de resto esquece, vive a vida com o novo corpo e a mesma cabeça.
Beijos.

Geninha disse...

Olá. Nunca penses em ti nesses termos..."Ex-qualquer coisa". É que somos tão mais que isso! Então no teu caso..És sobretudo uma vencedora, uma lutadora.
Nunca consegui chegar onde chegaste...Emagreço...engordo...emagreço...engordo...mas nunca consigo chegar aonde quero, nem tão pouco manter. Claro que fico danada comigo, claro que sei que tenho um problema e é óbvio que luto contra ele (uns dias mais que outros).
Mas tu foste lá, venceste, estás giríssima, por isso és o quê? És fantástica, e não digo isso pelo teu aspecto actual,mas sim por tudo que aparentas ser, e que acredito que és! Pela força que dás aos outos e pela coragem de partilhares uma experiência que não é nada fácil.
Beijinhos

Crazy Cat Lady disse...

Olá
por partes, a parte do ex-obeso tem a ver um pouco com escolhas, a esmagadora maioria dos obesos não o é por doença prévia à obesidade, da mesma maneira que um fumador não nasce com um cigarro na boca. Cancros geralmente não são resultados do comportamento consciente da pessoa sabendo o que lhe vai acontecer.
Quanto à tua crise de identidade, o que te define agora é o que define antes, mais uma embalagem melhor e mais cuidada - eu não concordo muito com quem diz que é exactamente a mesma pessoa, uma pessoa que cuida dela e outra que se negligencia são muito distintas (por diversos motivos).
bj

Moura ao Luar disse...

Serás sempre tu, independentemente da tua aparência física, perdoa-me a intromissão. Um beijo

Peluchinha disse...

Compreendo-te, mas comigo é diferente...

Eu não me sinto no corpo que tenho, ou seja, só me apercebo do meu tamanho quando me cruzo com um espelho (o que raramente acontece e nunca acontece por vontade própria)

Na minha cabeça ainda tenho os 65 kgs de há cerca de 5/6 anos atrás, mas o espelho mostra-me a realidade e não me deixa espaço para ilusões...

Em relação a seres magra ou ex-obesa, é como dizes: porque raio hás-de ser ex ou não algo???

Tu és uma pessoa que passou por algo, mas não creio que precises ficar rotulado com isso para o resto da vida...

Para te tentares descrever, nada melhor do que pedires às pessoas mais próximas de ti para te descreverem em uma ou duas palavras... a partir daí chegarás com certeza a uma conclusão sobre quem és...como pessoa e não como ex-isto ou não-aquilo :)

Beijokinhas doces